Magreza já foi considerada doença

    A publicidade no Brasil nem sempre foi um mar de rosas. Muitas propagandas claramente abusivas não passavam pelo crivo de nenhum órgão. Hoje, com a existência do CONAR e de uma série de órgãos de proteção do consumidor, certamente a situação seria diferente.

    Esta propaganda dos comprimidos Vikelp prometia transformar “os magros de nascença em criaturas fortes e cheias de vida”.

    Em outras palavras, considerava magreza doença!

    Vale o registro histórico de que este anúncio foi publicado na década de 1950. O Brasil estava na vigência da Constituição de 1946, cujo artigo 141, § 5º, estabelecia o seguinte

    5º – É livre a manifestação do pensamento, sem que dependa de censura, salvo quanto a espetáculos e diversões públicas, respondendo cada um, nos casos e na forma que a lei preceituar pelos abusos que cometer (…).

    A Constituição de 1946 era bastante avançada para a época, sendo considerada um avanço da democracia e das liberdades individuais.

    Será?