Imagem publicada na página da Jendayi Cosméticos (já tirada do ar, após críticas)

A Jendayi Cosméticos divulgou em sua página no Facebook um ensaio sobre a tragédia de Brumadinho (MG) com os slogans “Isso não pode ficar assim”, “Clama” e “A dor também é nossa”.

Com o clique do fotógrafo Jorge Beirigo, atores cobertos de lama foram convidados a “interpretar” as vítimas da tragédia.

Segundo a Jendayi, “o objetivo da campanha é mostrar que existe uma marca de cosméticos que se preocupa com a beleza, a beleza da vida”.

Vejam algumas imagens:

Imagem publicada na página da Jendayi Cosméticos (já tirada do ar, após críticas)
Imagem publicada na página da Jendayi Cosméticos (já tirada do ar, após críticas)
Modelo “interpreta” vítima de Brumadinho em ensaio da Jendayi Cosméticos

Em questão de horas a campanha recebeu duras críticas:

As fotos foram tiradas da página da empresa de cosméticos.

Sobre a ilicitude. Segundo o art. 19 do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, que é uma espécie de Código de Ética da publicidade,

Toda atividade publicitária deve caracterizar-se pelo respeito à dignidade da pessoa humana, à intimidade, ao interesse social, às instituições e símbolos nacionais, às autoridades constituídas e ao núcleo familiar.

Ao se aproveitar de um momento de comoção mundial, a Jendayi Cosméticos acabou por proporcionar, certamente, um dos piores e mais constrangedores momentos: a falta de empatia com o sofrimento das famílias, amigos e do povo brasileiro.

A campanha da empresa não será sequer apreciada pelo CONAR, considerando que as imagens foram rapidamente tiradas do ar.

Houve, ainda, um outro problema. Se a pretensão era de que os atores interpretassem as vítimas, sinto informar, mas até o fechamento deste artigo o Corpo de Bombeiros já contabilizava 65 mortos!